Relatório da reunião no Alasca

Sexta-Feira, 26 de Janeiro de 2018

Este fim de semana de reuniões começa com uma mensagem do apóstolo Benjamin Tovstiga. A mensagem aborda o tópico Creia nos Profetas.

Sempre houve pregadores que pregaram doutrinas que não podem efetuar a salvação da alma nem a liberdade da escravidão do pecado. 2 Pedro 1: 16-19 menciona “fábulas artificialmente compostas” e também “mui firme, a palavra dos profetas”. Temos o privilégio de estar no tempo da maior concentração do cumprimento da profecia.

Em Atos 26:22, em seu discurso ao rei Agripa, o Apóstolo Paulo apelou para a mesma fonte, a profecia, o apóstolo Pedro fez isso em 2 Pedro. “Permaneço dando testemunho tanto a pequenos como a grandes, não dizendo nada mais do que o que os profetas e Moisés disseram que devia acontecer”.

Neste momento, o inimigo quer atacar nossa fé. Se ele tiver sucesso, ele nos tornará inúteis!

Em Atos capítulo 6, Estevão estava cheio de fé e poder. Estevão estava operando a partir de uma fé profunda nas Escrituras e nos Profetas. Seu discurso começa em Atos capítulo 7 com: “Homens, irmãos, e pais, ouvi. O Deus da glória apareceu a nosso pai Abraão…” Ele foi de Abraão e seguiu trabalhando através dos profetas. Por causa do fluxo de profecias que ele traçou, ele pôde, no final, apontar para Jesus. Estevão não amou sua vida até a morte (Apocalipse 12:11) porque acreditou nos profetas.

Estevão teve um futuro tão promissor. Acreditamos que ele era um jovem. A Bíblia diz que grandes maravilhas e milagres foram feitos por Estêvão entre as pessoas e que ele falou com sabedoria e um espírito notável. Certamente mais curas poderiam ter sido feitas e pensar nas excelentes mensagens que poderiam ter sido pregadas por ele. E, no entanto, ele não amou sua vida até a morte. Quando vemos que somos minúsculos jogadores ordenados para trabalhar dentro da profecia, poderemos viver de forma a ter dito sobre nós “…e não amaram as suas vidas até à morte”.

João Batista também se baseou nos profetas que tinham vindo antes dele. Ele foi profetizado por Isaías e Malaquias. Eles pregaram sobre João muito antes de ele vir e, de alguma forma, João descobriu que Isaías estava falando sobre ele! Como Zacarias deve ter falado com João! “E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos.” (Lucas 1:76). Algo motivou João a se afastar das normas da sociedade em seu tempo, a comer gafanhotos e mel silvestre. Foi no deserto que “o menino crescia, e se robustecia em espírito”. As profecias cresceram fortemente sobre ele e podemos ver João, um jovem, fazendo suas escolhas por causa da profecia.

Havia recursos tremendos e inspiradores à disposição de Cristo, para Sua libertação, “Como, pois, se cumpririam as Escrituras, que dizem que assim convém que aconteça?” Mateus 26:54

Como falamos com nossos filhos, santos? Há multidões de Escrituras, multidões de profecias que giram em torno de nós e nosso tempo. À medida que tomamos decisões de vida, precisamos nos restringir pelas Escrituras. O que fazemos é um obstáculo para o Evangelho? Senhor nos ajude a sermos persuadidos pelas profecias. Há uma diferença entre reconhecer o trabalho de Deus e sermos persuadidos por isso!

Em Lucas 24:25 está escrito acerca de dois discípulos na estrada de Emaús: “Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!” Senhor, ajude-nos a não ser néscios da restauração. Deixe-nos combater um bom combate pela profecia que nos precedeu. Amém!

Deixe um comentário