O Problema do pecado

1706

O mundo em que vivemos é lançado em tristeza e confusão. Casas e famílias estão sendo destroçadas. A moral está degenerada. As crianças lutam para conhecer sua identidade, e os jovens se suicidam ou usam drogas que abusam da mente em um esforço vago para escapar da dor. Crime e guerra e instabilidade flagelam as nações. As pessoas tentaram uma solução após outra e um relacionamento depois do outro apenas para se decepcionar. Eles perderam, um por um, seus últimos frágeis fios de esperança, e ficaram com um esmagador desespero. A educação não resolveu o problema. Os governos não resolveram o problema. As reformas sociais, com todas as suas boas intenções, tentaram corrigir relacionamentos e melhorar as coisas de uma maneira superficial, mas nunca chegaram à raiz do problema. O que causa a desolação? O que quebranta o coração e o espírito do homem? O que faz com que a própria criação gema por libertação?

O problema do mundo é o PECADO. Por trás dos problemas com drogas, por trás da gravidez na adolescência, por trás do crime e do aborto, e por trás do monstro do racismo, é o mesmo problema básico — o pecado. Os casamentos se desmoronam e os lares são destruídos por causa do pecado. Grupos de pessoas odeiam e invejam e lutam e oprimem-se por causa do pecado. Todos os dias, o pecado arruína as vidas. Todos os dias, o pecado sobrecarrega suas vítimas com dor. O pecado destrói corpos e almas. Ele tira a dignidade dada por Deus ao homem e o torna prisioneiro de suas paixões bestiais. Oh, Pecado… destruidor da paz, destruidor da inocência! — Como o pecado oferece dor de cabeça e sofrimento e um horror aos arrependimentos da vida!

É impossível superestimar a destruição causada pelo pecado. Um pecado — a simples participação em comer do fruto proibido trouxe maldição a criação, e trouxe a morte para o mundo. Levando o homem do Jardim do Éden e colocou um abismo de separação entre ele e seu Deus. Todo pecado já cometido prejudicou alguém de uma forma ou de outra. O pecado de Acã custou ao povo de Israel uma derrota na batalha. Destruiu a própria família de Acã e deixou mais de trinta e seis outras casas sem pai. Acabe pecou, e uma nação sofreu mais de três anos sem chuva. O pecado do mundo enviou ao próprio Filho de Deus para sofrer agonia na cruel cruz. O pecado causou que os homens rasgassem as suas costas e zombassem de seu nome — para colocar limites sobre o próprio Criador. O pecado sempre foi extremamente egoísta. Uma pessoa não pode pecar e ser inocente.

O que não faz sentido é que o pecado é tão desculpado e negligenciado em nossos dias. Os falsos pregadores se recusam a atacar o pecado porque é muito desconfortável para seus ouvintes ou porque são vítimas deles. Ao invés de dizer às pessoas “Vão e não pequem mais”, eles os orientam a pecar mais ou menos todos os dias. Eles desensibilizam as pessoas para a perversidade do pecado e não lhes oferecem escape do problema do pecado. Eles dizem às pessoas que o sangue de Jesus os cobrirá no Juízo, mas eles deixaram o veneno do pecado continuar trabalhando na vida das pessoas. Não é de admirar que nossas nações tenham problemas. Ninguém está parando o problema na sua fonte.

Deus sempre tomou o pecado muito a sério. De acordo com a lei de Moisés, um homem recolheu lenha no dia do sábado tinha que pagar por essa transgressão da lei de Deus com sua vida! Sempre que uma alma pecava ignorantemente, ela tinha que trazer um sacrifício. Se ela pecou com presunção, era cortado do acampamento. O pecado é tão ofensivo para Deus que levou a morte do Filho amado e unigênito no Calvário para pagar a dívida da justiça e fazer com que o homem volte a estar em paz com Deus novamente. Esse mesmo sacrifício abriu uma fonte que poderia limpar o coração perverso e dar aos homens o poder de viver sem pecar, e esse mesmo Deus está irado quando os homens, conscientemente, rejeitam Seu sacrifício e continuam vivendo em seu pecado e egoísmo.

Nossa missão é impedir a opressão do pecado. É impedir que as pessoas sejam abusadas e roubadas, para impedir o engano e a mentira, identificar o inimigo em suas cores verdadeiras e identificar a verdadeira fonte de ajuda.

As pessoas estão desesperadas, mas estão à procura de ajuda em todos os lugares errados. O pecado é o culpado, e até que expomos o pecado, o problema continua.

Nossos líderes procuram promover a paz mundial ao lidar com a Crise ou ameaçando a Coréia do Norte, mas essas são apenas soluções temporárias. Enquanto houverem pecadores no mundo, eles continuarão odiando e matando uns aos outros. Os pecadores que atacam não farão nada antes de atacar o pecado que os aprisiona e os problemas do mundo não podem ser efetivamente tratados até que o pecado seja tratado.

O pecado é um problema profundamente enraizado no coração. “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.” (Mateus 15:19). Não pode ser tratado cobrindo a questão, reformando os hábitos, ou mesmo proibindo a expressão de ações pecaminosas, porque regras e consequências não podem impedir o coração perverso de produzir a maldade. O pecado é enganador, infiltrando-se em graus sutis e fortalecendo suas correntes até serem muito fortes para que um humano as quebre. Está emaranhando — uma areia movediça que puxa o pecador mais profundo que ele luta.

A única solução é uma mudança de coração e louvar seja o Senhor, tal mudança é possível através do sangue de Jesus! A Escritura nos fala de uma fonte aberta “para purificação do pecado e da imundícia” (Zacarias 13: 1). Ele nos fala de um poder que mudará o coração e o tornará novo (Ezequiel. 36:26; 2 Coríntios 5:17). O sangue que foi derramado no Calvário é forte o suficiente para limpar a mancha mais profunda. É a única resposta duradoura aos problemas do mundo.

Kara Braun

Share this post

Deixe um comentário