Arrebatando-os do fogo

anna-popovic-187219

Precisamos de um desejo ainda mais forte para que os homens possam ser salvos.

“E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne”. – Judas 1:23

“Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal. Assim que, sabendo o temor que se deve ao Senhor, persuadimos os homens à fé, mas somos manifestos a Deus; e espero que nas vossas consciências sejamos também manifestos”. – 2 Coríntios 5:10-11

John Bunyan disse: “Eu não poderia estar satisfeito a menos que alguns frutos aparecessem no meu trabalho”.

David Brainerd, em mais de uma ocasião, disse: “Eu não me importo onde ou como eu vivo, ou com as dificuldades que passe, com que (de modo que) possa, ganhar almas para Cristo”.

Philip Doddridge, escrevendo para um amigo, disse: “Anelo pela conversão de almas com mais intensidade do que qualquer outra coisa”.

Matthew Henry escreveu: “Creio que seria felicidade maior para mim ganhar uma alma para Cristo do que montanhas de prata e ouro para meu proveito.”

O Santo John Fletcher disse ao jovem Samuel Bradburn, quando o chamou para vê-lo como o Vigário de Madeley, “se você deve viver para pregar o Evangelho 40 anos, e seja o instrumento de salvar apenas uma alma, vai valer a pena todo o seu trabalho”.

George Whitefield raramente pregava sem chorar a impressão solene do valor das almas. Ele disse que um dia em seu sermão, “como posso ajudar chorando quando vocês não vão chorar por vocês mesmos, embora suas almas imortais estejam à beira da destruição!”

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Deixe um comentário