A Santidade não é popular

Não pense que você pode fazer que a santidade seja popular. Não pode ser feito. Não há tal coisa como santidade separada de “Cristo em você”, e é impossível tornar Cristo Jesus popular neste mundo. Para os pecadores e professores carnais, o verdadeiro Cristo Jesus sempre foi e sempre será “como uma raiz de um terreno seco, desprezado e rejeitado pelos homens”. “Cristo em você” é “o mesmo ontem, hoje e para sempre” – foi odiado, rejeitado, perseguido, crucificado.

O “Cristo em você” não veio para enviar a paz na terra, mas uma espada; veio pôr um homem em desacordo contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e os inimigos de um homem serão os da sua própria casa” (Mat. 10: 35-36 BKJ).

O “Cristo em você” não apagará o linho fumegante, nem quebrará a cana machucada da penitência e da humildade; mas Ele pronunciará as mais terríveis, ainda que tristes maldições contra o hipócrita formalista e o professor morno que são os amigos do mundo e, conseqüentemente, os inimigos de Deus. “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Qualquer que quiser ser amigo do mundo, torna-se um inimigo de Deus”.  Tiago 4: 4 (BKJ). “Se algum homem ama o mundo, o amor do Pai não está nele.” 1 Jo. 2:15 (BKJ).

Nas casas dos pobres e nas moradas dos marginalizados, o “Cristo em você” procurará e salvará os perdidos, e, docemente, sussurará ternamente: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos darei descanso”, mas na igreja majestosa e catedral, onde pompa e orgulho e conformidade com o mundo zombam de Deus, ele clamará com lágrima e santa indignação: “os publicanos e as prostitutas entram adiante de vós no reino de Deus”.

O “Cristo em você” não é um aristocrata magnificamente vestido de púrpura, vestido de linho e ouro fino e pérolas, mas é um carpinteiro humilde e camponês, dizendo a verdade, Servo de servos, buscando sempre os assentos mais humildes nas sinagogas e nas festas. , condescendendo em lavar os pés dos discípulos. Ele “não respeita o orgulhoso” (Sal. 40: 4 BKJ), nem é daqueles que “lisonjeiam com a sua língua” (Sal. 5: 9); mas as palavras dele são “palavras puras, como prata refinada em uma fornalha de barro purificada sete vezes” (Sal. 12: 6); palavra “viva e poderosa, e mais aguda do que qualquer espada de dois gumes, penetrando até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Heb. 4:12 BKJ).

Procure conhecer e seguir os passos do verdadeiro Jesus e real; o humilde e santo Camponês da Galiléia; pois, verdadeiramente, muitos “falsos Cristos”, bem como “falsos profetas”, vieram para o mundo.

Existem cristãos sonhadores e poéticos, cujas palavras são “mais suaves do que manteiga”, mas a guerra estava em seu coração; suas palavras eram mais “macias do que o azeite”, no entanto, eram “espadas desembainhadas” (Sal. 55:21 BKJ). Existem “cristãos gays e seguidores da moda”, “amantes dos prazeres do que amantes de Deus”, “tendo aparência de piedade”, “mas negando o poder dela [santidade de coração]”. Destes, afasta-te. Porque deles fazem parte os que entram sorrateiramente nas casas e levam cativas mulheres tolas carregadas de pecados, levadas por várias concupiscências, que sempre aprendem e nunca são capazes de chegar ao conhecimento da verdade” (2 Tim. 3: 4-7 BKJ).

Existem “cristãos” mercadores, que fazem da casa de Deus um covil de ladrões (Mat. 21:13).

Existem cristãos alimentando-se, que capturam os homens alimentando o estômago e não o coração e a cabeça (Rom 16:18).

Existem cristãos erúditos, filosófos, que “engane por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo” (Col. 2: 8 BKJ).

Existem cristãos de reforma política, que se esquecem dos negócios de seu Pai em um esforço absorvente para serem eleitos, ou eleger, um governante sobre este mundo; que viajam por metade do continente para proferir um discurso sobre a proibição ou os direitos das mulheres, enquanto cem mil pecadores vão para o inferno em casa; que em vão se esforçam para colher os frutos dos galhos, em vez de colocar o machado na raiz da árvore, para que a árvore seja boa (Mat. 3:10).

Eles queriam tornar o “Cristo em você” um rei um dia, mas ele não seria um rei, senão os corações dos homens. Eles queriam fazer dele um juiz um dia por cerca de cinco minutos, mas ele não seria juiz. Ele se fez sem reputação (Fil. 2: 7). Ele poderia ter parado no trono da Roma imperial, ou entre as classes superiores da sociedade, ou as classes médias, mas Ele foi do seio de Seu Pai, descendo dos tronos e das classes superiores, médias e baixas da sociedade ao mais baixo lugar na terra, e tornou-se Servo de todos, para que Ele nos levante ao seio do Pai, e nos faça participantes da natureza divina e da Sua santidade (2 Ped. 1: 4, Heb 12:10).

O “Cristo em você” fica subordinado aos homens e levanta-os de baixo para cima. Se Ele ficasse no trono, ele nunca teria alcançado os pobres pescadores da Galiléia; Mas, descendo entre o pescador, ele logo sacudiu o trono. Não será popular, mas o “Cristo em você” vai cair. Ele não buscará a honra que vem dos homens, mas a honra que vem somente de Deus (Jo. 5:44; 12: 42-43).

Um dia, um jovem rico – um governante –veio a Jesus e disse: “Bom Mestre, o que farei para que eu possa herdar a vida eterna?” (Mar. 10:17 BKJ) Sem dúvida, esse jovem raciocinou um tanto assim consigo mesmo: “O Mestre é pobre, sou rico. Ele me receberá, pois posso dar-lhe um prestígio financeiro. O Mestre está sem influência no estado – eu sou um governante; posso dar-lhe poder político. O Mestre está sob uma proibição social, associando-se a esses pescadores pobres e ignorantes; Eu, um jovem governante rico, posso dar-lhe influência social “.

Mas o Mestre atingiu o coração de sua sabedoria mundana e autopresunção, dizendo-lhe: “vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e tu terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me”. “Venha, você pode me servir na pobreza, na censura, na humildade, na obscuridade social; pois o meu reino não é deste mundo, e as armas desta guerra não são carnais, mas poderosas por meio de Deus para puxar as fortalezas. Você deve negar-se, pois se você não tem meu espírito, você não é meu” (Rom 8: 9), e meu espírito é um sacrifício de si mesmo. Você deve desistir da sua elegante casa em Jerusalém, e venha comigo; Mas, lembre-se, o Filho do Homem não tem onde colocar a cabeça. Você será considerado um pouco melhor do que um vagabundo comum. Você deve sacrificar sua facilidade. Você deve desistir de suas riquezas, pois “Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé herdeiros do reino que prometeu àqueles que o amam?” (Tia. 2: 5 BKJ). E é mais fácil para um camelo atravessar o orifício de uma agulha do que para um homem rico entrar nesse reino.

Lembre-se, quando fizer isso, você perderá sua reputação. Os banqueiros e as damas de Jerusalém dirão que você está fora de si, e seus velhos amigos não o reconhecerão quando se encontrarem com você na rua. Meu coração está atraído por você; sim, eu te amo (Mar. 10:21), mas digo-lhe claramente que se você não aceitar a cruz e me seguir, você não pode ser meu discípulo; sim, “se algum homem vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e esposa, e filhos, e irmãos, e irmãs sim, e também a sua própria vida, ele não pode ser meu discípulo”(Luc. 14:26 BKJ).  Se você fizer isso, você terá um tesouro no céu (Mat. 19:21).

Você não vê a impossibilidade de fazer um evangelho tão radical como este popular? Este espírito e o espírito do mundo são tão totalmente opostos um ao outro, como duas locomotivas no mesmo trilho correndo um para o outro com uma taxa de sessenta milhas por hora. O fogo e a água se juntarão tão rapidamente quanto o “Cristo em você” e o espírito do mundo.

Não desperdice seu tempo tentando consertar uma santidade popular. Apenas seja santo porque o Senhor Deus é santo. Procure agradá-Lo sem consideração aos gostos ou desgostos dos homens, e aqueles que estão dispostos a ser salvos verão em breve o “Cristo em você” e irão clamar com Isaías: “Pobre de mim! Porque eu estou arruinado. Porque sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de lábios impuros. Porque meus olhos têm visto o Rei, o Senhor dos Exércitos” e, caindo aos seus pés, dirão com o leproso, “Senhor, se tu quiseres, podes purificar-me.” E Jesus, tendo compaixão deles, dirá: “Eu quero, seja purificado”.

Deixe um comentário