Artigos

A fé o isenta?—Uma resposta ao Pastor Marshall

(Veja ao final o artigo original) É triste testemunhar o cumprimento das palavras do apóstolo Pedro quando ele disse que …

(Veja ao final o artigo original)

É triste testemunhar o cumprimento das palavras do apóstolo Pedro quando ele disse que há aqueles que “torcem” as Escrituras “para sua própria perdição” (2 Pedro 3:16). Infelizmente, isto é o que o Pastor Keith Marshall fez em seu artigo intitulado “Do que sua fé o isenta.”

Que se saiba que todos os verdadeiros cristãos amam seus vizinhos como a si mesmos, e por causa do poder constrangedor do amor ágape, dão suas vidas pelos irmãos (1 João 3:16).

Verdadeiramente, os cristãos são obrigados a se esforçar ao máximo para ajudar a preservar a saúde e a vida de seus semelhantes.

Há uma preponderância de evidências que sugerem que a função positiva das vacinas e máscaras é contestável na melhor das hipóteses e letal na pior das hipóteses. A taxa de sobrevivência da COVID-19 é tremendamente alta. Se os bilionários e funcionários governamentais do mundo estivessem verdadeiramente preocupados com a saúde e o bem-estar geral do povo, seria óbvio e inequivocamente claro. O fato é exatamente o oposto. Está claro para nós e para milhões de outros que as motivações por trás dos mandatos de vacinação e máscara são ganância, avareza, exploração, divisão criada, e controle opressivo. Ao subscrever e apoiar a agenda da vacina COVID-19 e dos mandatos de máscara, estaríamos realmente ajudando a perpetuar a opressão, que está em oposição direta à nossa comissão divina para entregar os oprimidos.

Usar uma máscara para salvar a vida das pessoas ao nosso redor seria um preço tão mesquinho a pagar. Não pensaríamos duas vezes antes de doá-las, se elas realmente ajudassem a salvar vidas.

Deus não contradiz Seus próprios mandamentos. Ele não exigirá que Seus filhos comprometam uma diretriz divina para viverem outra. Alguns filhos de Deus têm a convicção de não serem injetados com uma substância que eles entendem que irá contaminar seu corpo (o templo de Deus) e comprometer sua saúde. Estes cristãos devem estar seguros de que Deus não exige que eles recebam uma vacinação que falhou em sua eficácia, contribuiu diretamente para a ferida e a morte de milhares e está enriquecendo maciçamente os homens perversos que estão consumindo os lucros de seus investimentos sobre as cobiças de sua carne.

É justo permitir que um cristão reivindique sinceramente uma “Isenção Religiosa” do envolvimento em atividades que carecem de provas de eficácia, minam a saúde, os relacionamentos e o bem-estar holístico, e são elementos constituintes de uma agenda opressiva. A fé em Cristo nos motivará a nos opormos a qualquer forma de opressão.

Gentilmente, mas firmemente, lembramos ao Pastor Marshall “não julgar”, para que ele não seja julgado.

Leave a Comment